Cresce, cresce...cada vez mais forte, potente e barulhenta na mente do meio onde reside mas tão fraca, silenciosa e quase impercetível para as mentes vizinhas...Ela espera pelo momento certo. Aquele em que cai a chuva da inconsolável mágoa e trovejam os raios do desespero. E é quando tudo já se tinge de cinzento que a tempestade se propaga, por vezes, para sempre.

  Haverá tempestade pior do que esta?? Esta, que pode, de um momento para o outro, destruir lares, famílias, amizades, assim como levar à morte de tanta gente e ainda fazer-nos sofrer, lentamente, no antes e depois da sua passagem, pousando a sua neblina e escuridão em cada um dos nossos pensamentos.

  Haverá tempestade mais poderosa que esta? Não...NÓS somos o elo mais poderoso. Criamos a tempestade. Sobrevivemos aos seus estragos. Curamos os danos que nos causa.

  Agora, usemos esse poder para parar estas terríveis tempestades e trazer paz ao mundo. Trazer paz a cada um de nós.

  A amenidade perfeita está à distância de um sorriso, de um bom pensamento...E é aí que entra a poesia: As mais fantásticas histórias de humanos e mundanos salvos e perdidos, mas sempre livres de sentir e fazer sentir, de acalmar, comunicar, de imaginar...de pensar e de fazer pensar num mundo tão diferente, que afinal não passa do nosso...

Maria Ana Madeira